terça-feira, 28 de maio de 2013

«Não vai haver negócios de saída de jogadores para o FC Porto nem para o Benfica» - Bruno de Carvalho


Em entrevista a A BOLA, Bruno de Carvalho esclarece que nenhum jogador do Sporting goza do estatuto de intransferível, porém, deixa claro que os leões não estão interessados em realizar «negócios de saída de jogadores para o FC Porto nem para o Benfica». 

Pinto da Costa disse que o Sporting o contactou por vários jogadores, entre eles o Josué. A troca de palavras por causa de Moutinho pode inviabilizar algum negócio entre os dois clubes?
O Sporting sabe perfeitamente os jogadores que quer e está nos processos de negociação. Queremos que as pessoas percebam que o futebol não pode ser um mundo cão. Tem de ser um mundo com regras, dentro da normalidade do que têm que ser os negócios. Estou há pouco tempo nisto e já deu para perceber que o futebol é um mundo sem grandes regras, onde pululam várias coisas à volta: ou empresários, ou empresas ou interesses dos próprios dirigentes. 

Não há nenhum jogador intransferível? 
Vou dizer isto - e vão fazer disto grande manchete -, acho que no Sporting, nem eu, que sou o presidente, sou insubstituível. O que o Sporting nunca pode perder são os milhões de adeptos que tem, as dezenas de milhares de sócios que tem - e até tem de os aumentar. Tudo o resto, enquanto forem mais-valias para o clube é perfeito, quando não forem, a vida é assim e as pessoas têm de perceber isso: hoje um jogador está no Sporting, amanhã noutro clube, depois noutro, como eles dizem são profissionais, nós somos amantes...

E se o clube for o FC Porto? 
Isso não faz sentido, podem já parar com essa especulação. Já disse várias vezes que não vai haver negócios de saída de jogadores para o FC Porto nem para o Benfica. 

Mas Pinto da Costa falou de conversações com o Sporting e fala-se em Rolando. 
É a primeira vez que ouço falar do assunto. A temática de jogadores como Rui Patrício contrapondo com Josué, que não joga no FC Porto, e Rolando, que também não joga no FC Porto, é completamente distinta, porque o Rui [Patrício] joga no Sporting.

Baixar os salários será inevitável? 
O Sporting não pode ser a empresa nacional com certeza absoluta que paga mais salários a toda a gente. Lá está, eu também gostava de ter uma quinta na Lua, uma casinha em Marte, mas as pessoas têm que perceber que há cúmulos e há o que é normal e o que é anormal. E o Sporting, infelizmente, tem muita situação anormal. Um clube que tem o prejuízo acumulado que tem, os resultados que tem, ser das empresas que mais bem pagam em Portugal, quer dizer, acho que isto não faz sentido nenhum na cabeça de ninguém. Portanto, o Sporting tem de reestruturar mas, continuo a dizer, não é para reestruturarmos para irmos ao ínfimo da mendiguice. O Sporting vai continuar a ser o terceiro clube com maior orçamento a nível do futebol, vai ser dos que tem o maior orçamento a nível das modalidades, e mesmo assim uma das empresas que melhor paga. Agora, não pode ser a empresa que mais paga e mais gasta. Mais: eu faria exatamente o mesmo que vou fazer se tivesse lucro todos os anos. 

Noutros clubes é assim? 
É ir ver as folhas salariais e verificar que tirando dois ou três jogadores dos nossos rivais, todos os outros ganham menos do que a maior parte dos jogadores do Sporting. E isto é ridículo, porque os agentes têm uma exigência para com o Sporting que não têm com os outros - porque os outros fecham-lhes a porta - e o Sporting ainda lhes agradece. Querem vir para o Sporting fazer algo que não conseguem noutro clube, sempre com a desculpa que é um ativo e que vai parar a outro clube, desculpem lá, mas com este novo Sporting não vão a lado nenhum. Se calhar vamos ter de dar alguns exemplos esta época para que nunca mais nos aconteça isso na vida...

Fonte: "www.abola.pt"

0 comentários:

Publicar um comentário